Liberty - Resseguro


Já se preparando para operar em um mercado de resseguro aberto no Brasil, a norte-americana Liberty Mutual, através da sua divisão internacional Underwriters (LIU), deu o primeiro passo para oferecer uma gama variada de produtos especializados (International Specialty Lines Insurer) no mercado brasileiro, onde está presente com a Liberty Seguros.  Para isso, dois especialistas do grupo estão no País para avaliar os aspectos regulatórios e os reflexos locais da abertura para, no momento apropriado, oferecer produtos de nichos que exigem subscrição profissional, gestão de riscos e cultura de engenharia, nas áreas de transportes, energia, engenharia, responsabilidade e negócios especiais de responsabilidade.  "A partir da abertura do mercado brasileiro, poderemos oferecer nossa expertise internacional", disse Anthony Carroll, um dos especialistas da empresa. Ele
assinalou que essa expertise "inclui anos de conhecimento do mercado local e especialização técnica, o que representa uma grande vantagem competitiva da LIU".

SONDAGEM. Ele entende que o Brasil conta com corretores profissionais e conscientes das oportunidades que surgirão, mas precisam conhecer a definição das regras de negócios neste novo cenário. "Neste momento, ainda não há uma regulamentação específica definida para o mercado de resseguros no Brasil, o que abre a possibilidade para que as empresas tenham diferentes interpretações do impacto das futuras leis. Por isso, estamos nos antecipando e coletando informações sobre o mercado brasileiro, antes mesmo do aspecto legal ser definido", assinalou o também especialista do grupo Liberty, Gary Windsor.   Mesmo assim, ele acredita que muito mais do que uma questão de preço, a diferenciação neste mercado se dará pela expertise,segurança, mão-de-obra especializada e qualidade dos serviços prestados aos clientes. "Algumas companhias brasileiras receberão bem esta expertise internacional (como a que a LIU está trazendo), pois ela as ajudará a se preparar e a entender os processos de estruturação e operação de seguro e resseguro no mercado internacional", comentou Gary Windsor.

Jornal do Comércio


Jornal do Comercio (08/06/2007)