Entenda um pouco mais do seguro de automóveis


Seguro de automóveis é um contrato entre você e uma companhia de seguros. Para protegê-lo de qualquer tipo de perda financeira no caso de algum acidente de carro, você concorda em pagar o prêmio e a companhia pagará por suas perdas financeiras se você colidir. Esse tipo de seguro não é um contrato de longo prazo. A maioria das apólices duram entre 6 meses e 1 ano, e é preciso renovar o contrato toda vez que a apólice expira. Um bom plano de seguro de automóveis cobre não apenas pelo dano ou roubo de seu carro, mas também sua responsabilidade legal por danos de propriedade, assistência médica e danos físicos para você e outros envolvidos no acidente.
O seguro não é apenas uma opção inteligente para aqueles que possuem um carro, mas na verdade uma necessidade legal. Estar envolvido em um acidente de carro ou ter seu carro roubado são coisas ruins por si só e estar protegido por seguro de automóveis, pode evitar vários problemas legais e financeiros.

Segundo José Carlos de Oliveira, da Marítima Seguros, as estatísticas mostram que a cada 100 seguros contratados, 7% deles ocorrem sinistro de colisão - perda parcial- outros 2% são roubados ou furtados e 1% são os carros que tem uma colisão que vira uma indenização integral - perda total.
O seguro existe para proteger seus bens, e por isso ele é essencial, já que dirigir, às vezes, pode resultar em acidentes inesperados. Mas mesmo assim, existem aqueles que preferem arriscar e não ter seguro e também, os que não compram o carro dos seus sonhos devido ao alto preço do seguro.

Thiago Del Lama, por exemplo, é contra o seguro. Seus carros nunca tiveram seguro e acredita que nunca terá. " Não tenho por questões financeiras e também porque hoje em dia o seguro não dá o respaldo necessário para o cliente". Já Fabiano Castro, diz que jamais terá um carro sem seguro. "Tenho seguro e vale a pena principalmente pela quantidade de assaltos que tem em São Paulo.
"Quando eu vou comprar um carro eu nem penso no preço do seguro, porque geralmente os que eu gosto, tem o preço de seguro mais alto. De acodo com o meu perfil e com o cep onde eu moro, o preço chega a ser até 1/3 do valor do carro. Acho super inviável ter seguro", diz Del Lama. Já Fabiano ficou na dúvida entre ter uma picape o um compacto e acabou optando pleo que tinha o prço de seguro mais barato. "O seguro da picape era muito alto e não compensaria".

Existem diferentes níveis e categorias de cobertura de seguro de automóveis:

- Colisão: esse tipo de cobertura paga por qualquer dano em seu carro no caso de alguma colisão com outro veículo ou objeto fixo.
- Compreensivo: reembolsa o proprietário do carro por perda ou roubos causado por outros motivos além de colisões. Isso inclui vandalismo, explosões e terremotos.
- Legabilidade para danos físicos: se aplica a qualquer dano físico que o motorista e dono da apólice cause a qualquer terceira parte envolvida no acidente.
- Legabilidade para danos materiais: a cobertura de seguro de automóveis que paga não apenas pelo carro no qual você bateu, mas também outros tipos de propriedades como cercas, postes e assim por diante.
Segundo José Carlos, as estimativas são que dos 30 milhões de veículos que estão circulando, cerca de 10 milhões sejam segurados. Detalhes como as diferenças de preços entre cidades e CEP, colocação de rastreadores e informações do motorista da apólice, podem fazer grande diferença no pagamento do seguro no Brasil. Em alguns países já existem outras experiências, como a aferição da quilometragem percorrida para se calcular o preço.

É importante o consumidor ficar atento a todos os benefícios que o seguro pode oferecer. "Os consumidores podem usufruir das parcerias que a seguradora faz com empresas relacionadas a automóveis, como locadoras, estacionamentos e oficinas. "São através dessas parcerias que o seguro faz, que o consumidor tem que ter a percepção que está comprando um bem que não é só um monte de papel", alerta José Carlos.

Clique aqui e veja um vídeo sobre seguros de automóveis

Fonte: Autoshow


Auto Show (06/07/2007)