Seguradoras defendem seguros de saúde


Associação lembra que mercado é livre e não interfere nas soluções e preçosA Associação Portuguesa de Seguradores (APS) já veio em defesa dos seguros de saúde, depois das polémicas declarações da Ordem dos Médicos Dentistas que acusaram os seus profissionais de utilizarem materiais de qualidade duvidosa ou de não cumprirem as regras elementares de protecção da saúde dos seus clientes.

 

Perante estas acusações, a APS diz que é a Ordem dos Médicos Dentistas que terá «de prevenir essas situações» e relembra que «o Serviço Nacional de Saúde tem insuficiências na área da prestação de cuidados de saúde dentários e de higiene oral, o que dificulta o acesso generalizado dos cidadãos a este tipo de cuidados» e que as seguradoras, através dos seguros de saúde, dão uma ajuda no sentido de tornar estes serviços acessíveis.

«As seguradoras fizeram-no através do meio que está ao seu alcance: disponibilizando seguros de saúde a preços comportáveis para a generalidade da população», revela a APS.

Segundo a associação, «como é próprio de um mercado livre e concorrencial, têm coberturas e modelos tarifários diversos e têm subjacente modelos de gestão de sinistros também diversos, variáveis de seguradora para seguradora, o que permite aos cidadãos optar pelas soluções julgadas mais convenientes. Sobre o conteúdo, preços e modelos de gestão de sinistros desses seguros a Associação não interfere nem obviamente se pronuncia».



 (27/10/2008)