BB Seguro agrícola agora inclui proteção para cafezais


O Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre lança dia 30/7 seguro agrícola para plantações de café, sujeitas a fenômenos naturais que podem trazer prejuízos a regiões inteiras – neste caso, áreas que têm o forte da sua economia baseada na cafeicultura.

Com o seguro do BB MAPFRE, a renda mínima do produtor fica garantida em caso de sinistros, como quebras de safra causadas por granizo, chuva, geadas e seca, entre outros fenômenos. “Trata-se de uma ação inovadora. Não existia até aqui seguro que garantisse a produtividade das lavouras de café”, diz o diretor geral do GRUPO BB MAPFRE nas áreas Rural e de Habitação, Luiz Guedes.

Para contratar o seguro, o produtor pode procurar uma agência do Banco do Brasil da sua região. O nível de cobertura desejado pode ser escolhido pelo produtor – 50, 55, 60, 65, 70 ou 75% da produtividade esperada, dependendo da cidade.

No caso específico da proteção para os cafezais, além da subvenção federal à aquisição do seguro rural, definida pelo Ministério da Agricultura, o produtor pode contar também com a subvenção dos governos de São Paulo e de Minas Gerais, de acordo com as regras de cada estado. As subvenções federal e estadual serão acumuladas nesse caso.
           
Para o Brasil, tal proteção ganha importância ainda maior, já que o país segue como maior produtor e exportador do planeta. Estados como São Paulo e Minas Gerais respondem por mais de 50% da produção brasileira; e outras regiões como o Cerrado e Zona da Mata Mineira, Bahia, Paraná, Espírito Santo e Rondônia completam uma importante geografia em que o café é uma das bases das economias locais.

Proteção social
O avanço do seguro rural, que cobre apenas 8% da produção agrícola brasileira, é um dos pontos de interesse do governo federal, que há duas semanas anunciou a destinação de R$ 400 milhões à subvenção da modalidade, dentro do Plano Agrícola e Pecuário (PAP) 2012/2013. No ano passado, a subvenção chegou a R$ 250 milhões.

Além do café, o BB Seguro Agrícola oferece proteção para as culturas de soja, milho, trigo, arroz, algodão, de várias frutas e hortaliças e para a plantação de florestas. Máquinas e equipamentos agrícolas, além de benfeitorias como silos e galpões, também podem ser segurados. O BB Seguro Agrícola possui ainda a modalidade de seguro-faturamento, pela qual o produtor pode ser indenizado com a diferença entre o faturamento previsto e o efetivamente obtido com sua produção, desde que observadas as regras do produto.

Para Luiz Guedes, “os seguros rurais são essenciais para dar estabilidade de renda e da produção aos produtores. É preciso, assim, se criar uma consciência do meio rural para a importância desse tipo de seguro”, alerta.

No ano-safra 2011/2012, encerrado em 30 de junho, o Grupo BB MPAFRE pagou R$ 230 milhões em indenizações, frente a R$ 180 milhões arrecadados em prêmios. Isso significa que para cada R$ 1 arrecadado em prêmios foi pago R$ 1,27 de indenizações. De acordo com Luiz Guedes, o prejuízo, como neste caso, é da natureza do seguro agrícola, o que evidencia o caráter de proteção social que a modalidade representa.



 (30/07/2012)