Auto: sinistralidade média vem caindo desde junho


Dados da Susep indicam que a taxa média de sinistralidade na carteira de automóveis, que vinha seguindo tendência de alta desde o começo do ano, parou de subir ao final do primeiro semestre e, a partir de então, na comparação mês a mês, passou a regredir até outubro. Com isso, a taxa média acumulada nos dez primeiros meses de 2012 – 66% - foi exatamente igual a de 2011. A estatística da Susep traz a reboque uma boa notícia para os consumidores, pois havia a possibilidade de novos ajustes no preço do seguro de automóveis para compensar o salto da sinistralidade, além do já esperado repasse para o custo final do produto do fim da cobrança da emissão de apólice, a partir de janeiro de 2013. Conforme o CQCS noticiou, os dados da Susep confirmaram a tendência de recuperação da carteira de automóveis, que gerou receita de prêmios da ordem de R$ 20,2 bilhões de janeiro a outubro, com incremento da ordem de 15,6% em comparação ao mesmo período do ano passado. Esses valores não incluem o ramo Dpvat. Esse incremento foi reflexo direto do ajuste do preço do seguro de automóveis realizado por várias seguradoras em decorrência de fatores como o aumento da sinistralidade em algumas grandes capitais do país, no começo do ano. A receita apurada em outubro – pouco menos de R$ 2,2 bilhões – foi 26,2% maior que a registrada no mesmo mês em 2011. Ainda de acordo com a Susep, entre os dois períodos comparados, houve um incremento da ordem de 10,4% no volume de sinistros retidos, que somaram R$ 12,4 bilhões no acumulado de janeiro a outubro deste ano. Já as despesas comerciais, que englobam principalmente as comissões de corretagem, somaram R$ 3,9 bilhões nos dez primeiros meses deste exercício, com salto de 11%. Veja, abaixo, a variação mensal da sinistralidade no segundo semestre (até outubro), segundo a Susep: 2012 (%) 2011 (%) JUNHO 65 68 JULHO 66 67 AGOSTO 66 69 SETEMBRO 63 65 OUTUBRO 66 66 MÉDIA 66 66


04.12.2012 ()