Automóvel

Andar num carro sem seguro é por em risco todo o dinheiro investido. O que pouca gente sabe é que alguns cuidados também precisam ser tomados na hora de escolher esse seguro. A primeira coisa a fazer é conhecer todas as suas regras, coberturas e exclusões. A proposta não deve ser escolhida apenas em função do preço e das condições de pagamento. É importante conhecer a tradição do Corretor de Seguros no mercado e a seguradora.

O seguro de automóvel é o mais popular, devido a sua utilidade e sua funcionalidade, pois todos necessitam de uma segurança em caso de acidente.
O seguro de automóvel oferece as seguintes garantias ou coberturas:
  • Colisão, Incêndio e Roubo;
  • Responsabilidade Civil ;
  • Acidentes Pessoais de Passageiros;
  • Existem garantias adicionais tais como: acessórios, carro-reserva, extensão de perímetro, assistência em viagem, diárias por indisponibilidade, entre outros.
GUIA DE SEGURO DE AUTO

PERDA TOTAL
O que é considerado perda total? A perda total é uma modalidade de sinistro, ou seja, um dos motivos que determinam que o seguro será pago ao segurado. Considera-se perda total quando o carro é roubado ou quando danos de uma colisão representam um prejuízo superior a 75% do valor segurado.

FRANQUIA
O que é a franquia? É uma taxa que o cliente paga além do valor segurado. Quando o veículo segurado sofre danos parciais, a seguradora é acionada para arcar com os custos dos reparos. Neste momento, o segurado também participa assumindo uma parte destes custos. Este valor é fixo, independente do preço dos reparos. O segurado que assume uma franquia de R$ 2.000, por exemplo, está assumindo a responsabilidade de arcar com as despesas até esse valor. Se o prejuízo for superior, de R$ 5.000, por exemplo, o segurado pagará os R$ 2.000 correspondentes à franquia e a seguradora arcará com o restante.  

INDENIZAÇÃO
Quando a seguradora pode se recusar a pagar a indenização? Essa medida varia um pouco de uma seguradora para outra, mas em geral, a contratada fica isenta de qualquer obrigação decorrente do contrato quando: o Segurado do veículo não fizer declarações verdadeiras e completas ou ainda, quando o segurado omitir circunstâncias de seu conhecimento que pudessem ter influído na aceitação da proposta ou na fixação do prêmio, como por exemplo: região de circulação do veículo diferente da habitual; uso do veículo para fim diverso daquele a que se destina; pertencer a grupo ou ser dependente de integrante de grupo de que na realidade não faça parte; respostas incorretas assinaladas pelo Segurado no questionário de informações sobre condutores e uso do veículo segurado. for averiguado pela Seguradora a não veracidade do CPF/CNPJ informado pelo Segurado na proposta do seguro; o Segurado deixar de cumprir as obrigações convencionadas na apólice; o sinistro ocorrer quando o veículo segurado estiver sendo dirigido por pessoa não legalmente habilitada; o veículo segurado for usado para fins diversos do indicado na apólice; o sinistro for devido a culpa grave (negligência) ou dolo (má intenção) do Segurado; for constatado que o motorista do veículo segurado estava embriagado ou drogado; o Segurado, por qualquer meio, procurar obter benefícios ilícitos do seguro contratado; no caso de táxi, o veículo não estiver sendo dirigido pelo seu proprietário legal/segurado ou pelo segundo e terceiro condutores, indicados na apólice; o Segurado deixar de comunicar à Seguradora a transferência de titularidade, alienação ou ônus do veículo segurado.